QUEM SOU?

Minha foto
Goiania, Brazil
Um homem simplesmente aí, jogado no rio do devir a procura de si mesmo. Um campo de batalha... uma corda sobre o abismo, um ser no mundo corroido pela angustia da certerza da própria morte, mas que faz dessa consciencia da finitude um motivo para se responsabilizar mais por cada uma de suas escolhas.http://lattes.cnpq.br/9298867655795257

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Desabafo matinal num sábado de carnaval

Não importa mais dizer a verdade sobre esse governo corrupto, traíra, que se traveste de uma legalidade sórdida obtida pelo conluio indecente entre os três poderes.
O que interessa agora é que tarefa caberia aqueles que ainda tem um resto de dignidade e amor próprio? Serio, já pensei em abandonar a carreira de professor de filosofia numa universidade federal, que já não é grande coisa, para viver mais intensamente, partindo para o confronto com essa canalha. Então o que me sufoca, angustia e me faz querer gritar é essa pasmaceira, resignação de um povo tutelado, bestializado e cansado até para morrer. O que fazer? Não basta mais as cabeças inteligentes fazerem belas analises de nossa realidade trágica.
O fato é que vivemos uma republica de canalhas, legitimada por uma mídia canalha, que emburrece um povo canalha que suporta essa cleptocracia que se instalou no país após o golpe.
O que fazer? eis a questão. Embora, acredite com Heidegger, que o pensamento age enquanto pensa, que a teoria, como pensava os gregos, é apenas uma forma mais elevada de prática…ou mesmo resgatando a idéia de praxis em Marx…não importa…continua a questão – como pode nos livrar dessa canalha no poder???? Certamente não é batendo panela, que se calaram, não é indo fazer passeata como se fosse piquenique com direito a self com policial…nem mesmo quebrando tudo…TEMOS QUE IR PRAS RUAS, OCUPAR TUDO…GREVE GERAL POR TEMPO INDETERMINADO…SACAR TUDO QUE TEMOS PELO MENOS EM NOSSAS CONTAS BANCÁRIAS para gerar pânico no sistema financeiro…etc.
Fato, está insuportável viver nesse país, é asfixiante, a atmosfera moral é magnífica para batráquios…Época de pachecos empavezados, acácios triunfantes…nunca se berrou tanta asneiras debaixo do sol …
“…sou maldito, tenho horror a pátria, o melhor será dormir completamente bêbado.” Rimbaud.